Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Liberdade’

LiberdadePor Claudia Midori

2008 marca o centenário da imigração japonesa. Ok, isso não é novidade para muita gente… mas para mim será bem bacana. Neta de japoneses, meus avós não vieram no Kasato Maru (e não lembro o nome dos navios que trouxe meus avós, preciso voltar ao Museu do Imigrante). Para mim, a festa traz boas recordações – apenas um avô (com quase 90 anos) está vivo. Mas não é só isso, faz 10 anos que visitei o Japão, no mesmo mês que o Kasato chegou no Brasil, em junho – mês do meu aniversário.

Todo sábado estou na Liberdade. Não, não moro no bairro, apenas estudo lá. E, sempre que posso, almoço por lá mesmo. Aproveitei o último final de semana para registrar alguns lugares que frequento e adoro. O primeiro lugar é um senhor que vende takoyaki – um bolinho de polvo na loja Kaizen. A primeira vez que experimentei o tal bolinho foi no Japão. Lembro que meu primo perguntou se eu comia polvo…e eu nunca tinha comido! Fazendo careta, provei o primeiro, o segundo, o terceiro, e quis um espetinho com seis bolinhos! Nas viagens que fiz a Hong Kong descobri um lugar próximo ao hotel que fico que faz os melhores takoyakis que já comi, e vou lá todo santo dia comer takoyaki com shoyu e um pouco de maionese.

O segundo lugar que gosto é o Kanazawa. Passo lá para comprar Melona – o sorvete de melão que fez muito sucesso entre os leitores do blog! Conhecemos até a Cristina, dona de uma empresa que distribui o Melona por aí. O sorvete de melão é, inclusive, um dos posts mais lidos no Comidinhas, e está sempre nas palavras de busca de quem visita o blog.

O Banri e o Yoka são os outros lugares que visito. De vez em quando trocava o café da manhã no Café do Sol pelo Banri, mas um incidente na última visita me deixou “de bode” do lugar. Agora só vou lá para almoçar quando não pego fila. O Yoka vive cheio, até quando você acha que vai estar vazio. Sim, experimente comprar pastel num dia frio e chuvoso… você certamente vai encontrar a pastelaria cheia.

É claro que não coloquei todos os lugares que gosto na Liberdade, mas vou deixar para fazer um segundo post com dicas de outros restaurantes e lojinhas de cacarecos. Sábado tiro novas fotos!

Outras fotos

Anúncios

Read Full Post »

Sugestão da Liliane, do restaurante Bentoo, abaixo as dicas de uma chinesa de verdade – Kao Mei I – de onde comer uma saborosa comidinha chinesa pra valer em Sampa.

Kao, muito obrigada! Claudia
* Jambo
Fica na Conselheiro Furtado, na parte estreita, mão única na direção da Aclimação. Fica do lado esquerdo, depois de uma boate, e antes de um pet shop. Lá, servem alguns dos “salgadinhos” do sistema Dim Sum, muito comum em Hong Kong, porém é a la carte (tem as fotos no cardápio), você pede as porções. No lugar também é feito um Pato Pequim sob encomenda que também é muito bom e barato (se não estiver enganada, 1 pato faz uns 4 ou 5 pratos). No inverno, a Suzana (dona do restaurante – muito simpática) serve uma comida típica chinesa que é um fogareiro na mesa e uma panela com caldo (que pode ser picante ou não ou meio a meio). No buffet ficam verduras, tofu diversos, cogumelos diversos, frutos do mar, carnes, ovos, massinhas, tudo cru ou semi cozido. Você se serve desses crus e cozinha no caldo que está na sua mesa. Tem um outro buffet só com os temperos que você mistura na sua tigelinha para comer o que você cozinhou. O China Lake no Brooklin (não sei o endereço, mas é ao lado do restaurante Tomato´s – ainda existe esse restaurante?) tem a versão mais cara, mas não necessariamente mais gostosa. Somente o restaurante é bem mais arrumado. Outra especialidade do Jambo é a pimenta. Dá para comprar a pimenta deles e levar para casa – é muito boa.
* Rong He (não sei se é assim que se escreve)
Fica na rua da Glória, entre a Barão de Iguape e a rua São Joaquim. A especialidade são massas. Tem o chef que faz o “show do macarrão”. Você pede pela massa feita à mão e o chef faz de um “bolo” de massa, 128 fios de macarrão com as mãos!!! Eles também servem um gioza muuuuuito gostoso em várias versões: cozido, frito ou no vapor – de carne de porco, boi ou frutos do mar. A dona (não sei o nome dela) é muito simpática. O restaurante é limpinho e os garços atenciosos. Para falar a verdade, quando eles começaram dentro da casa deles, os chineses (como meus pais) achavam que era mais gostoso, porém eu continuo achando tudo muito gostoso, principalmente da entrada de salada de alga com alho.
* Chi Fu
Fica quase de frente à praça da Liberdade, numa travessa da avenida Liberdade, próximo a um bingo. É do lado feio da avenida Liberdade. Para quem sai do metrô, na Praça da Liberdade, tem de atravessar a avenida para o outro lado. A especialidade deles é frutos do mar. Apesar do nome, eu nunca “mi fu” comendo nesse restaurante. Ele é feio, sujo, a dona é grossa, mas a comida é muuuuuuuito boa e barata!! Eles servem uma berinjela com carne moída numa panelinha que é uma delícia. Os camarões deles tanto frito quanto no vapor com alho também são muito gostosos. Os ingredientes são frescos – tem aquários no fundo do restaurante com peixe e caranguejo vivos. Outro dia comemos marisco à milanesa. Além de frescos, estava muito gostoso. Nesse restaurante não tem divisão de área de fumantes ou não fumantes, é tudo uma coisa só. Se você vai de noite, perto das 22h (horário que fecha), você verá o lixo passando por entre as mesas. Esse é um restaurante que não dá para ir se você é uma pessoa que “come com os olhos” ou se é muito fresco.

Read Full Post »