Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for 11 de Fevereiro, 2008

por Regina Lara Stevanatto

Segunda-feira pós Carnaval, preguiça…um lindo dia de sol…Hoje eu e meus “compatriotas” de serviço fomos almoçar e qual não foi a surpresa que na salada havia uma linda, verde a saracutiante lagarta!

Não pedi a salada pois passei o Carnaval todo tomando injeções e remédios, pois fui contaminada por ameba em alguma salada comida na rua… Acho que já descobri aonde foi. 
Depois fomos ao supermercado Dia% recém-inaugurado na Vieira de Moraes no Campo Belo. Apesar de novo, o lugar é um tanto quanto estranho. De um lado das prateleiras ficam as batatas fritas e do outro naftalinas, Baygon e similares. Por que não colocaram logo as jujubas do lado do veneno de rato? As frutas também sempre estão um pouco passadas… 

Mas o melhor foi quando eu, entre minhas comprinhas, vi em frente ao caixa que havia mini bolos da Pullman por um explícito valor de R$ 0,25 a unidade. A etiqueta era imensa e amarela e como era baratinho, achei uma boa idéia colocar na gaveta para os momentos de fominha. 

                                        
Lá não tem monitor para o cliente monitorar os preços dos produtos e por sorte eu estava do lado de trás do caixa, já preparada para colocar as compras no saquinho quando vi que um dos bolinhos estava custando R$ 0,49, o dobro do outro!!!

Imediatamente argumentei com a grosseira caixa que disse: Mas esse é de laranja, o outro é de chocolate!!! 

Mas que tipo de argumento é esse??? O produto era exatamente o mesmo, e na caixa que eu peguei tinha a foto de todos os sabores, então não era um lote mais barato. 

Depois de muito insistir sobre o sabor do bolo, chamou a supervisora que imediatamente me deu razão, pois realmente não fazia sentido algum… 

Depois que a supervisora saiu a caixa, aproveitou para começar a ser grossa de novo e jogou meu cartão do banco na mesa. Eu reclamei com ela quando ela quis me dar o troco, pois não estava nem conseguindo tirar o cupom fiscal. Irritada depois de tanto descaso saí até sem o troco, pois respeito e educação R$ 0,25 jamais comprariam. 

Da próxima vez vou ao Pão de Açúcar onde, pasmem, a Coca-Cola é até gelada e quando o preço está errado eles corrigem na hora.

Anúncios

Read Full Post »

por Jaci Brasil

Na última sexta experimentamos o famoso churrasco grego limpinho, o Kebab, que na verdade tem sua origem no oriente médio, comidos desde o Marrocos até a Índia. Mas tem essa fama de ser grego.

Segundo o site do restaurante que fomos: “Kebab é uma palavra de origem árabe ou persa que significava originalmente carne frita, mas que hoje é mais reconhecida como uma combinação de pão lavosh com recheios normalmente grelhados. Kebab Salonu era o nome dado aos antigos salões de kebab na Turquia, durante o século XIX, no Império Otomano. Foi nessa época que nosso carro-chefe se tornou o alimento mais difundido nessa região do mundo, adquirindo sua forma atual. ”

No Kebab Salonu, e comemos o kebab de kafta, além de kibes e kibes de batata (parece um bolinho de batata com recheio de carne).

O kebab é composto por pão sírio, no caso desse restaurante pão lavosh, de origem armênia, mais macio, folhas de vários tipos de alface temperadas com azeite e sal, folhas de hortelã, tomate, cebola, a carne grelhada, ou no nosso caso, o kafta, e molhos como hommus ou coalhada seca.

É um lanche bem grande que alimenta bastante, eu goste, mais preferia ter comido no almoço do que na janta, já a Claudia, disse que não voltava… rsrsrs

Kebab Salonu
Rua Augusta, 1416
Telefone: 32 83- 0890
http://www.kebabsalonu.com.br

Read Full Post »

Beijú X Tapioca

por Jaci Brasil

A maioria das pessoas confunde beijú com tapioca. Em alguns estados do nordeste as pessoas chamam de tapioca, e ela costuma ser mais grossa. Já na cidade da minha família, no interior da Bahia tapioca é a farinha (polvilho) que faz o beijú, que é bem fino.

Eu adoro beijú e comemorei ter passado na USP comendo beijus, já que minha mãe é um expert na arte.

Ela faz beijus desde quando tinha 10 anos, época em que subia numa bacia pra ficar mais alta e poder alcançar o fogão, seguindo a tradição familiar. E o que mais o beijú tem de diferente da tapioca? levam um pouco de leite na hora de serem molhados pra que fiquem dourados e mais gostosos. Com recheio de queijo é uma delícia!

Read Full Post »

por Camila Verbisck

No sábado de Carnaval, eu, a Jaci e a Claudia decidimos finalmente tomar vergonha na cara e trocar nossos presentes de Natal! (que já deviam estar criando teias guardados no armário!)

O local da reunião foi o restaurante Aska, na Liberdade. O prato principal do menu é lámen. Isso mesmo, o famoso miojo, só em sua versão original.

Fiquei bem surpresa com o lámen. Sempre gostei de miojo, já passei meses só a base disso, só que nunca tinha experimentado o original.

Mesmo meu receio de comer algas etc foi embora  rapidinho quando eu comecei a saborear o prato. Nesse restaurante, você come ele em uma daquelas tigelas tradicionais japonesas e depois toma o caldinho com uma colher bem simpática!

A questão aqui é que eu não tenho coordenação motora para comer com hashis, por isso usei talheres mesmo…

Ah, o cardápio também traz algumas opções de guioza. Nós experimentamos o de carne e o de vegetais. Os dois estavam bem gostosos, mas eu prefiro o de carne.

Aska
r. Galvão Bueno, 466
Tel.: 3277-9682

Read Full Post »

Jig’s burger and ice cream

por Camila Verbisck

No último sábado, depois de assistir o filme Paranoid Park, eu e a Maíra fomos no Jig’s do shopping Pátio Paulista (ex-Shopping Paulista).

Adoro os hambúrgueres desse restaurante, mas confesso que fiquei desapontada com o beirute Summertime, que leva filé de frango, queijo e cogumelos “selvagens”. Não tinha nada de errado com o filé, nem com os cogumelos (adoro cogumelo!), só que o pão sírio mais parecia uma casquinha de pão, de tão fininho e duro!!!

As batatas fritas também estavam gostosas. O problema com elas foi que eu lambuzei tudo de ketchup e sofri um acidente! Deixei cair tudo na minha bermuda… Voltei para casa toda manchada… 

Para compensar, a sobremesa estava maravilhosa!!! Comi uma taça sundae com bastante chantilly, calda de chocolate, uma bola de sorvete frozen yogurt e outra de chocolate. Isso eu recomendo bastante!

Não sou muito fã de chantilly, mas esse me fez mudar de idéia! Ele estava bem gostoso. Combinava perfeitamente com o azedinho do sorvete de frozen yogurt e com o sorvete de chocolate, que devia ser Miss Daisy, porque tinha pedacinhos de biscoito!

Simplesmente divino!!!

Então, uma dica: se for ao Jig’s, fique com um dos clássicos hambúrgueres, milkshakes e sobremesas! 

Read Full Post »

Museu do lamen

por Claudia Midori

                    Lamen do Aska

Ir ao Japão e não comer lamen é um pecado. Ouvir e ver a japonesada comendo o macarrão branquinho numa combuquinha cheia de água temperada vale um post especial. O barulho do fuuuuuuuuuuu das pessoas comendo (quase engolindo) o macarrão quente é inconfundível. Nunca entendi porque a pressa em comer tão rápido o macarrão… mas se esperar (e nem precisa ser muito), o lamen fica sem graça, um pouco duro (calma, não fica uma rocha), e perde o gosto. Além do mais, o gostoso é fazer fuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu e fazer biquinho para comer.

No Japão existe até o Museu do Lamen, em Yokohama. O endereço é:

Kanagawa-ken
Yokohama-shi
Kohoku-ku
Shin Yokohama 2-14-21

No museu ainda é possível saborear alguns lamens (os preços variam de 700 a 1.200 ienes) ou levar um kit para preparar o seu em casa.

Clique aqui para ver o site do local.

Read Full Post »