Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for 12 de Dezembro, 2007

por Caroline Marino

 

O Praça é aquele lugar que você pede uma coisa e chega outra, sabe? Mas no fim, dá certo. A primeira vez que fomos almoçar lá, confesso que me estressei um pouco (não que isso seja muito difícil). Estava sentada lendo uma revista antiga (lá tem várias) e a dona do “restaurante” passou um “prato” pela minha cabeça. Dá para imaginar? Olha, fiquei irritada e prometi que nunca mais voltaria lá. Mas o lanche valeu a pena. O que acontece (e só entendi depois daquela dia), é que o Praça é o tipo do restaurante que parece que você está na sua casa. Você senta, conversa com a dona, lê umas revistas ou assiste televisão e não pode ficar bravo se o seu lanche demorar e chegar com queijo branco invés de mussarela, rs. Mas o lanche é bem feito e, concordo com a Claudia, a maionese temperada é ÓTIMA. Ah, e tem uma coxinha de frango com catupiry ótima também. Vou continuar comendo lá.


Read Full Post »

PATRICIA DE CIA
Colaboração para o UOL

Em princípio, nada contra a diva doméstica. Mas cá pra nós: por mais que Martha Stewart e Nigella Lawson pareçam sempre impecáveis e glamourosas, quem enfrenta forno e fogão numa cozinha comum, longe das câmeras, tem pela frente muitos imprevistos e louça suja que, com o acréscimo de um belo punhado de bom humor, podem render grandes histórias

Esse lado mais imperfeito, humano e divertido da culinária está em “Julie & Julia – 365 Dias, 524 Receitas e 1 Cozinha Apertada”, livro adaptado do blog de uma norte-americana em crise que decide afogar os problemas não comendo, mas fazendo comida.

DivulgaçãoCapa do livro que nasceu do blog da norte-americana Julie Powell

Mas não qualquer comida. Julie Powell, uma texana de 30 anos que mora em Nova York e está cansada das pressões profissionais e reprodutivas, resolve encarar o livro “Mastering the Art of French Cooking” (“Dominando a Arte da Cozinha Francesa”), escrito em 1961 por Julia Child, uma espécie de proto-Martha Stewart e a primeira a levar as técnicas da culinária francesa para os lares norte-americanos.

A escolha ajudou a afastar ainda mais a experiência de Julie do mundo dos “foodies” versão 2000. Em vez de produtos orgânicos, muita manteiga e cremes. No lugar de ingredientes pré-preparados e extraídos, o corpo-a-corpo com peças inteiras de carne, ossos e vegetais. O livro virou best-seller nos EUA e deve chegar aos cinemas em 2009, com Meryl Streep cotada para interpretar Julia Child.

Julie conta histórias engraçadíssimas, como quando decidiu extrair o tutano de um osso sem os instrumentos adequados. “Você tem uma serra elétrica?”, sugere o irmão da autora. É possível ler um trecho da tradução brasileira do livro no site da editora Conrad e a íntegra no blog “The Julie/Julia Project”, em inglês é claro.

Cozinha brasileira
A Memória Visual, uma nova editora do Rio de Janeiro, chegou ao mercado lançando dois livrinhos bem saborosos que unem o amor pela comida e pelos blogs: “Papel Manteiga – Cartas Culinárias”, de Cristiane Lisbôa, e “A Peleja do Alecrim com o Coentro e Outros Causos Culinários: Receitas e Cordel”, de Tatiana Damberg.

O primeiro é um mix de romance epistolar e livro de receitas (todas fornecidas por Tatiana Damberg, autora do site Mixirica. Antônia conta à bisavó sua experiência inusitada como aprendiz de cozinheira da “Senhorita Virgínia”, que “abandonou Paris e decidiu abrir o Mi Casa (…), um restaurante no alto de uma montanha com apenas duas mesas”. Entre a história dessas mulheres semi-alegóricas, há desde dicas para fazer o purê perfeito e um simples croque monsier até receitas de peito de pato com violetas e coroas de carneiro.

No segundo, ingredientes bem brasileiros viram personagens de pequenos exercícios de cordel que antecedem as receitas propriamente ditas. Farinha, macaxeira, dendê, siri, charque, cordeiro, quibebe se tornam mais acessíveis para cozinheiros inexperientes e desacostumados a preparar receitas tão tradicionais da culinária brasileira. Menção honrosa para o primeiro capítulo, que ensina a cozinhar arroz e feijão, dessalgar carnes, abrir côco seco e fazer pimenta em conserva.

Read Full Post »