Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for 23 de Novembro, 2007

Vida de tripulante

por Fabi Sobral

                  Fabi na geladeira

Para quem já visitou a cozinha de um bar ou restaurante, sabe mais ou menos o que é. E quem nunca visitou, provavelmente tem curiosidade. São muitos itens para organizar e preparar, além do mais, cozinheiros sempre correm contra o tempo. 

Bem, imagine a cozinha de um navio com capacidade para cerca de 3700 hóspedes. Este navio é o Carnival Liberty, da Cia Carnival Cruise Lines, que opera no Caribe, e também na Europa. Cozinha em inglês é “kitchen”, mas no navio chama-se “galley”. Aos que tem interesse em saber como funciona essa tal de “galley”, aí vai um relato de alguém que trabalhou dentro dela por cerca de dois anos. Na verdade o navio possui quatro cozinhas:  

  • Main Galley –  cozinha principal, que atende os restaurantes “a la carte”;
  • Lido* Galley – cozinha do restaurante buffet;
  • Supper Club* Galley – cozinha do restaurante pago a parte, que não é incluso no pacote;
  • Crew Galley – cozinha que atende aos tripulantes.

* Lido e Supper Club são os nomes dos restaurantes. Já que são tantas cozinhas vamos falar apenas da principal. A “Main Galley” é dividida em: 

  • Appetizer – cozinha fria, onde são preparados os aperitivos, saladas, queijos e frutas;
  • Hot Galley – cozinha quente, onde são preparados todos os pratos quentes, sopas, molhos para massa etc;
  • Pastry – conferitaria, onde são preparadas as sobremesas e os bolos em geral;
  • Bakery – padaria, onde são preparados todos os pães.

 Um dos trabalhos mais importantes na cozinha é o do “night shift”, o cozinheiro que faz o pré-preparo durante a madrugada. Ele é responsável pelo corte e cozimento de grande parte dos alimentos preparados durante o dia. Se o night shift por acaso não prepara algo durante a madrugada, a cozinha se transforma em uma verdadeira bagunça durante o dia, pois todos tem que trabalhar a mais para dar conta do que não foi feito.   

Deixando um pouco de lado o trabalho do turno da madrugada, podemos falar  que o  dia a dia da galley começa por volta das 4h da manhã, horário em que os “breakfast cooks” (cozinheiros que tomam conta do café da manhã) iniciam os preparativos para o café que geralmente começa as 7h. O início do café da manhã está interligado com o início da “loucura”. Cozinheiros do lado de dentro e garçons do lado de fora da “linha” (a linha fica dentro da cozinha, mas é um corredor onde os garçons tem acesso para pegar os pratos, pois na cozinha mesmo ninguém, além dos cozinheiros entra). Os garçons gritam pedindo os pratos, e os cozinheiros respondem no mesmo tom. Para quem não está acostumado chega até a assustar, mas depois de um dia de trabalho tudo parece muito normal.

O café da manhã termina por volta das 10h, horário em que os cozinheiros que preparem almoço e jantar já estão trabalhando, horário também em que os Breakfest Cooks vão para a cabine descansar, para que retornem na hora em que o jantar começa. Prepara-se tudo e a linha do almoço começa por volta das 12h e termina em torno de 14h30. Os cozinheiros responsáveis pelo almoço e jantar, geralmente tem duas horas para descanso, o que nem sempre é garantido, pois o jantar tem que estar pronto até as 18h. Dependendo do menu, esse descanso simplesmente é deixado para trás, já que alguns pratos requerem mais tempo para serem preparados. O tempo médio de trabalho é de 10 horas, podendo ser prolongado para 12 ou 14 horas. A refeição mais movimentada é o jantar, já que praticamente todos os hóspedes reunem-se no mesmo restaurante. O jantar começa as 18h e termina por volta das 22h30. Os garçons fazem fila para pegar a comida, essa fila nem sempre é respeitada. Os garçons brigam entre si, e brigam com os cozinheiros. Além de todo o barulho da cozinha em si, e das pessoas falando, a cozinha conta com um sistema de som que toca ritmos de todo o mundo, que variam de música indiana e indonésia, passando pela salsa e merengue e chegando no samba e funk (devido a presença de duas brasileiras malucas na cozinha). Todos os desentendimentos que as vezes acontecem na cozinha são deixados de lado quando todos se encontram no bar para relaxar. Além do bar, os tripulantes contam também com as festas nas áreas de tripulantes e até mesmo nas áreas de hóspedes. O trabalho dentro de um navio é de certa forma muito cansativo, pois não se tem um dia de folga, apenas algumas horas semanais. Mas por outro lado, é recompensado pelos locais espetaculares visitados e pelo dinheiro que se ganha. Os salários variam de U$ 750,00 a U$ 4000,00 dependendo da posição ocupada. O trabalho mais comum é o de garçon, onde o salário gira em torno de U$ 2000,00. 

Se você gostaria de se aventurar, tornando-se  um tripulante, entre em contato comigo via e-mail: fabisobral@hotmail.com  

Mais fotos

Read Full Post »