Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for 5 de Outubro, 2007

Coffee, coffee…

05/10/2007 – 13h27
Starbucks abre neste sábado primeira loja na avenida Paulista

da Folha Online

A rede americana de cafeterias Starbucks inaugura neste sábado a sua primeira loja na região da avenida Paulista. A unidade fica localizada no Shopping Center 3 e terá 180 metros quadrados de área.

Esta é a sexta loja que a rede abre desde que aportou no Brasil, em dezembro de 2006. As outras cinco ficam no MorumbiShopping, na zona sul da cidade (duas), no Itaim Bibi (zona oeste), no Shopping Eldorado (zona oeste) e no Shopping Pátio Higienópolis (centro).

Trata-se da primeira loja que será aberta no país após a morte da responsável por trazer a rede para o Brasil, Maria Luisa Rodenbeck, 49. Ela sofreu um acidente de automóvel na segunda-feira, na avenida Niemeyer (zona sul do Rio de Janeiro). Na ocasião, a assessoria de imprensa informou que ela estava vindo a São Paulo para acertar os últimos detalhes da abertura da nova loja.

A unidade da avenida Paulista contará com mesa para reuniões, acesso à internet por Wi-Fi e música ambiente, e funcionará de segunda-feira a sábado, das 8h às 22h, e aos domingos das 10h às 22h.

A Starbucks brasileira aproveitará a inauguração para lançar seu novo cardápio, que inclui wraps quentes. Os produtos estarão disponíveis em todas as lojas.

Anúncios

Read Full Post »

Saiba mais sobre as vantagens e desvantagens de alguns alimentos

28/09/200711h48

Colaboração para a Folha

Confira abaixo as boas e más notícias de sete alimentos e o que fazer para assimilar a difícil equação entre saúde e dieta.

Flávio Florido/Folha Imagem
Saiba balancear a difcil equação de saúde e alimentos; especialistas indicam o que fazer
Saiba balancear a difícil equação de saúde e alimentos; especialistas indicam o que fazer

Tomate

A boa notícia: é um dos alimentos mais ricos em licopeno, substância que combate os radicais-livres e atua na prevenção do câncer -estudos o associam, por exemplo, à diminuição do risco do câncer de próstata.

A má notícia: o cultivo convencional do tomate usa uma quantidade significativa de agrotóxicos, que podem causar danos à saúde.

O que fazer: como o licopeno é encontrado principalmente na polpa, e não na casca, tirar a pele do tomate retira boa parte dos agrotóxicos sem que o nutriente se perca. Na forma de molho, preparo mais comum com o tomate pelado, a concentração da substância antioxidante é ainda maior. E, se for acrescentado azeite, aumenta a absorção de licopeno pelo organismo. Para quem quer comer o tomate cru com a casca, lavar o vegetal com água e sabão elimina parte dos resíduos químicos, deixando-os em um nível seguro. Consumir tomate orgânico certificado também resolve o problema.

Bebidas alcoólicas

A boa notícia: o consumo regular aumenta o HDL (colesterol “bom”) do sangue e diminui o risco de eventos cardiovasculares.

As más notícias: bebidas alcoólicas são causas de doenças hepáticas e gastrointestinais, que podem evoluir para alguns tipos de câncer. Também aumentam o risco imediato de AVC (acidente vascular cerebral) e podem causar dependência.

O que fazer: a fronteira que separa os malefícios dos benefícios da bebida alcoólica é imprecisa e muda conforme características individuais (por exemplo, propensão a disfunções hepáticas). Por isso, para quem não tem o hábito de beber, não é recomendado iniciar o consumo. Um adulto saudável acostumado a beber pode ter benefícios tomando pequenas doses: uma por dia para mulheres em geral e homens com menos de 60 kg e duas para homens acima desse peso. Nessa proporção, a ação preventiva contra eventos cardiovasculares foi observada independentemente do tipo de bebida alcoólica. Mas acredita-se que o vinho tinto traz um benefício a mais, pois seus compostos fenólicos diminuem a oxidação do LDL (“mau” colesterol). Uma forma de diminuir a taxa de absorção de álcool no sistema gastrointestinal e no fígado é tomar a bebida junto com as refeições e ingerir água na mesma proporção. Tomar muitas doses em pouco tempo, especialmente com o estômago vazio, é o que mais aumenta o risco imediato de AVC.

Ovo

A boa notícia: o ovo é uma fonte de proteína de altíssima qualidade, rico em nutrientes e com baixa proporção de gorduras saturadas.

A má notícia: a quantidade de colesterol da gema do ovo pode chegar a 200 mg, que é o valor diário máximo recomendado para quem tem dislipidemia (alteração do nível de gorduras no sangue).

O que fazer: entre comer um ovo ou outra fonte de proteína animal rica em gordura saturada (como carne vermelha gorda), é melhor ficar com o primeiro. Isso porque o organismo absorve menos o colesterol dietético (presente no alimento) do que as gorduras saturadas ou trans. Fazendo essa substituição, mesmo quem precisa restringir as gorduras da dieta pode comer ovos uma ou duas vezes por semana. Quem não precisa controlar o colesterol pode comer um ovo por dia. O melhor é prepará-lo cozido em água, e não frito em óleo ou com gorduras animais (manteiga, bacon etc.).

Chocolate

A boa notícia: foram identificados compostos fenólicos importantes no cacau, cuja ação antioxidante é protetora das artérias.

A má notícia: o chocolate é altamente calórico (9 cal/g) e fonte de gorduras saturadas, fatores que podem levar à obesidade e à síndrome metabólica.

O que fazer: para que as substâncias antioxidantes do chocolate tenham ação benéfica, é preciso escolher o tipo de chocolate e consumi-lo moderadamente -no máximo, 30 gramas por dia. O chocolate recomendado é o amargo, com, no mínimo, 60% de cacau, que tem mais concentração de fenóis. Porém, a quantidade de gorduras e calorias é a mesma que a do chocolate ao leite.

Café

As boas notícias: contém substâncias antioxidantes que podem reduzir a incidência de alguns tipos de câncer e o desenvolvimento do diabetes. Estimula funções cognitivas e é possível que previna a degeneração cerebral.

A más notícias: o café provoca secreção de ácidos estomacais relacionados à ocorrência de problemas gastrointestinais como gastrites. A bebida pode alterar o colesterol e aumenta a eliminação de cálcio pelos rins, piorando o risco da osteoporose.

O que fazer: quem tem propensão a irritações gastrointestinais deve tomar o café logo após as refeições -no estômago vazio, a ação dos ácidos é maior. Quem tem gastrite deve suspender o consumo nas crises agudas. Como o aumento do nível de colesterol no sangue é explicado por duas substâncias presentes no pó, o cafestol e o cafewol, basta preparar a bebida com filtro ou coador, que retém as substâncias. Em relação à eliminação de cálcio, o tipo de preparo que provoca menos perda do mineral é a do expresso. Nessa forma, é possível beber até seis xícaras diárias sem aumentar o risco de osteoporose; em outros preparos, a recomendação para prevenir a doença são quatro xícaras por dia.

Peixe

As boas notícias: são fontes de proteínas de alta qualidade com poucas gorduras saturadas. Algumas espécies são mais ricas em ômega 3, gordura tida como benéfica por ajudar a prevenir doenças cardiovasculares -segundo alguns estudos, ela contribui ainda para proteger as atividades cerebrais.

A má notícia: quase todos os peixes contêm, em maior ou menor grau, mercúrio, substância que pode se acumular na corrente sangüínea e que, em altos níveis, pode causar danos ao feto ou ao desenvolvimento de crianças pequenas.

O que fazer: quando a quantidade de mercúrio é pequena, ela é eliminada do corpo naturalmente. Escolher peixes menos expostos à substância, como os de águas profundas, é uma forma de se garantir. Espécies como salmão e sardinha, que contêm mais ômega 3, não estão entre os peixes com alta concentração de mercúrio, segundo a FDA (agência que controla alimentos e medicamentos nos EUA). O peixe-espada e a cavala estão entre as espécies em que foram detectadas mais mercúrio. Uma dica: incluir na dieta fontes de selênio (como nozes e castanhas) ajuda a diminuir a absorção orgânica de mercúrio.

Chá verde

A boa notícia: a alta concentração de compostos antioxidantes ajuda a prevenir doenças como o câncer.

A má notícia: populações que consomem muito chá verde têm mais câncer do trato digestivo (esôfago, estômago etc.).

O que fazer: a hipótese dos especialistas é que é provável que os casos de câncer estejam relacionados mais ao hábito de ingerir o chá muito quente do que à composição da bebida. Então, dá para aproveitar os benefícios sem se expor aos riscos apenas esperando a bebida ficar morna ou em uma temperatura que não cause desconforto. Um conselho para quem tem o costume de tomar bebidas muito quentes: o hábito pode diminuir a sensibilidade ao calor.

Fontes: ANITA SACHS, professora da disciplina de nutrição da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo); JOCELEM MASTRODI SALGADO, presidente da SBAF (Sociedade Brasileira de Alimentos Funcionais); LUIZ ANTONIO MACHADO CÉSAR, coordenador da Unidade de Pesquisa Café-Coração do Incor-HCFMUSP (Instituto do Coração do Hospital das Clínicas); RAUL DIAS DOS SANTOS, cardiologista, diretor da unidade clínica de lípides do Incor; SOLANGE GUIDOLIN CANNIATTI BRAZACA, professora do departamento de agroindústria, alimentos e nutrição da Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz); TÂNIA RODRIGUES, especialista em nutrição esportiva pela Associação Brasileira de Nutrição e diretora técnica da RG Nutri; TATIANA FREITAS TOURINHO, coordenadora, da comissão de doenças osteometabólicas da SBR (Sociedade Brasileira de Reumatologia)

Read Full Post »

01/10/200707h58

da BBC Brasil

Uma dose diária de chocolate amargo pode ajudar a reduzir os sintomas da Síndrome da Fadiga Crônica, apontaram cientistas britânicos.

Pacientes que participaram de um estudo piloto realizado pela Hull York Medical School revelaram que ficaram menos cansados depois de comerem chocolate com alta concentração de cacau.

A Síndrome da Fadiga Crônica é uma condição caracterizada por uma profunda fadiga muscular após esforços físicos. Os sintomas ainda incluem dor de cabeça, memória fraca, dificuldade de concentração, perturbação do sono e irritação.

O líder do estudo, Steve Atkin, disse que a idéia da pesquisa surgiu de uma paciente que relatou ter se sentido mais disposta depois que trocou o chocolate branco e ao leite pelo amargo.

Atkin então resolveu testar outros dez pacientes, que, durante dois meses, receberam uma dose diária de 45 gramas de chocolate amargo.

Após um intervalo de um mês, os voluntários receberam a mesma dose por mais dois meses de chocolate branco ou ao leite.

Os cientistas observaram que quando comeram chocolate amargo, os pacientes apresentaram menos sintomas da fadiga e admitiram que voltaram a se sentir mais cansados ao comer outro tipo de chocolate.

“Apesar de ter sido um pequeno estudo, dois pacientes conseguiram voltar ao trabalho depois de terem ficado de licença durante seis meses”, citou o pesquisador.

“O chocolate amargo é rico em polifenol, uma substância que traz benefícios à saúde, como a redução da pressão alta.”

Read Full Post »

A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) decidiu liberar para plantio comercial uma das variedades de milho transgênico produzidas pela empresa origem suíça Syngenta Seeds. 

A decisão da comissão já está sendo contestada na justiça por diversas ONGs. Se for confirmada, ela vai fortalecer os planos de expansão da multinacional no país.

O milho resistente a herbicidas e inseticidas Bt11, desenvolvido pela Syngenta, foi liberado pela CTNBio na reunião realizada em 20 de setembro. Os votos favoráveis de 15 membros da comissão, entre os 27 presentes à reunião, foram suficientes para aprovar a comercialização do milho transgênico produzido pela empresa suíça, já que desde abril, por decisão do Congresso Nacional reiterada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o quorum mínimo da CTNBio necessário à tomada de decisões dessa natureza foi reduzido de dois terços para maioria simples.

Os protestos dos demais membros da comissão e a presença de dezenas de manifestantes com cartazes do lado de fora da reunião não evitaram a rápida aprovação do milho Bt11. Ao contrário. Antecipando-se a uma possível invasão dos manifestantes – mães, em sua maioria, que seguravam cartazes com os dizeres “meu filho não é cobaia” – o presidente da CTNBio, Walter Colli, inverteu a pauta de votação e deu prioridade ao pedido da Syngenta.

Representantes da Syngenta acompanharam pessoalmente a votação na CTNBio, mas a direção da empresa ainda não divulgou nota oficial sobre a liberação do milho Bt11. Num comunicado divulgado antes da reunião da comissão, a Syngenta lembra que “o evento de milho Bt11 está na fila para a avaliação da CTNBio há sete anos” e que, “conforme estudos feitos e apresentados pela empresa e vasta literatura, o evento não oferece riscos à saúde e ao meio ambiente”.

Leia matéria na íntegra

Read Full Post »